A IMPRESSÃO 3D É MAIS VERDE DO QUE VOCÊ PENSA

Gostou? compartilhe!

A IMPRESSÃO 3D É MAIS VERDE DO QUE VOCÊ PENSA

A demanda por impressoras 3D está subindo rapidamente e Gartner prevê que quase meio milhão de impressoras 3D serão vendidas no mundo este ano. Seguindo um modelo digital, as impressoras 3D constroem objeto funcional, camada sobre camada de plástico fundido, metal ou outros materiais. John Hornick, autor de 3D Printing Will Rock the World, explica: “impressoras 3D são as máquinas mais poderosas já inventadas porque elas podem fabricar produtos acabados, com todas as suas partes, completamente montados.” Há muitas razões para empresas estarem apaixonadas pelas impressoras 3D, que estão agora sendo utilizadas para construir tudo, desde roupas futurista até próteses. Mas, de acordo com Hornick, outra característica da impressão 3D que a maioria das pessoas não percebem é que ela é mais verde do que a fabricação tradicional em pelo menos três aspectos: (1) Ela usa menos material para fazer uma peça; (2)Ela usa menos energia na produção; (3) Ela pode ter uma cadeia de fornecimento muito menor do que as peças feitas de forma tradicional.

Para itens complexos feitos a partir de várias peças diferentes, antes do advento da impressão em 3D, as economias em termos ambientais da impressão 3D pode ser bastante significativa. Ao contrário das máquinas tradicionais, que cortam ou usinam até 90% da matéria-prima, as impressoras 3D geram muito menos desperdício, porque os produtos são feitos com um pouco mais do que a quantidade de material necessária para a peça acabada. Impressoras 3D fazem as peças camada por camada, usando apenas o material necessário para fazer essas camadas.

Além da utilização de menos material para a fabricação das peças, as impressoras 3D gastam muito menos energia. “Algumas pessoas têm argumentado que as impressoras 3D usam mais energia do que as máquinas tradicionais para construir peças”, observa Hornick. “Por exemplo, elas dizem que os lasers de impressoras 3D de metal usam muito mais energia do que máquinas de usinagem tradicionais. Elas podem estar certas se você olhar apenas para a energia utilizada pela impressora 3D em si, mas, considerando a energia envolvida em todo o ciclo de vida do produto, desde a matéria prima até o pós venda, a energia gasta na impressão 3D é significativamente menor do que nas máquinas tradicionais. Muitas vezes, fabricar uma peça através dos métodos tradicionais requer várias máquinas, as quais devem ser fabricadas, deixando seu próprio rastro de energia, além de devorarem energia enquanto trabalham. Em comparação, um produto pode ser impressas em 3D usando muito menos insumos, resultando em menor consumo de energia. O custo total considera também o preço dos materiais, incluindo a quantidade significativa de matérias-primas desperdiçada usando métodos de fabricação tradicionais”.

 Mesmo nos casos em que imprimir uma peça use mais energia do que os métodos tradicionais, o gasto de energia pode ser mais baixo ao longo da vida do produto. “Por exemplo, os bicos de combustível que a General Electric imprimiu para o seu motor de aeronaves LEAP são 25% mais leve do que seus antecessores tradicionalmente fabricados”, diz Hornick. “As peças mais leves irão economizar energia, sob a forma de combustível de aviação, durante toda a vida útil.” A fim de calcular as poupanças ambientais reais, é preciso olhar para o ciclo de vida do produto, incluindo as máquinas necessárias para fabricá-lo assim como a sua utilização final.

Outra economia ambiental significativa é a capacidade de localizar a impressão 3D onde é necessária a produção. “A fabricação tradicional é feita muitas vezes onde a mão de obra é barata e depois exige o transporte de longa distância, além do custo de armazenagem. Trabalho, transporte e armazenagem todos têm seus gastos de energia. Muito menos máquinas e menos trabalho são necessárias para imprimir peças e produtos em 3D, eles não precisam ser feitos em terras distantes e os gastos de energia são reduzidos quando as peças são impressas perto do ponto de venda/necessidade”, observa ele. Além disso, ao reduzir a fabricação terceirizada, as empresas podem diminuir o impacto ambiental dos seus produtos, assim como assegurar que os produtos sejam fabricados de forma ética.



Confira mais imagem:

Gostou? compartilhe!