ESTA CINTA IMPRESSA EM 3D PODE AJUDAR A TRATAR A ESCOLIOSE

Gostou? compartilhe!

ESTA CINTA IMPRESSA EM 3D PODE AJUDAR A TRATAR A ESCOLIOSE

A escoliose, torção anormal da coluna vertebral, afeta milhões de pessoas em todo o mundo e é mais comum em crianças. Agora, uma cinta impressa em 3D foi criada para ajudar a evitar uma maior curvatura da coluna vertebral ao mesmo tempo em que se parece um objeto bonito e confortável.

Projetado em colaboração com o Studio Bitonti, a cinta Align da UNYQ é uma moldura personalizável e “respirável” que visa ser elegante, usar menos materiais e ser usado por várias horas por dia.

A Align também é capaz de ajudar os pacientes a rastrear seus dados pessoais, que podem ser usados ​​no processo de tratamento. Para fazer isso, um chip Intel, do tamanho de um botão, foi incluído na cinta.

A ferramenta médica estará disponível a partir de 2017, após a produção de uma segunda versão, e estará inicialmente disponível nos EUA. A primeira iteração do projeto foi recentemente revelada na exposição FashionNXT em Portland.

 
Francis Bitonti disse que sua empresa sempre inicia o processo de design pensando no código necessário antes de projetar seus produtos.

“Nós desenvolvemos algoritmos que são capazes de gerar a cinta de escoliose, inspirado pelo Boston Brace que usa 75% menos material do que os projetos tradicionais”, disse Bitonti em um e-mail.

Ele também disse que era raro um dispositivo, que pudesse ser usado para tratamentos médicos, ser lançado em um desfile de moda. “Francis Bitonti, Peter Wildfeuer e Li Chen usaram tecnologia de otimização de topologia inovadora para criar a cinta de escoliose mais leve e bonita”, disse Eythor Bender, CEO da UNYQ.

“Um programa piloto demonstrou que a cinta da UNYQ é tão eficaz quanto o padrão ouro atual e mais fácil e mais desejável de se usar”, diz UNYQ em seu website.

A Align UNYQ já angariou atenção nos níveis mais altos nos EUA. Em 15 de Setembro a empresa lançou a cinta na Casa Branca.

No evento, Grace Mosier, uma menina de 15 anos de idade da cinta portadora da cinta, disse que era “mais confortável” e fazia com que se sentisse mais confiante do que outros aparelhos que usava anteriormente.

Fonte: Wired



Gostou? compartilhe!