MAIS DE 10000 OBJETOS DO DIA A DIA DIGITALIZADOS À SUA DISPOSIÇÃO

Gostou? compartilhe!

MAIS DE 10000 OBJETOS DO DIA A DIA DIGITALIZADOS À SUA DISPOSIÇÃO

Hoje em dia, não é uma raridade ver o uso de digitalização 3D para recriar artefatos históricos ou esculturas dignas de museu.  A Biblioteca Britânica por exemplo, está utilizando um scanner 3D para capturar alguma obras da sua enorme coleção de textos e artefatos, e outros estão usando a tecnologia para tornar valiosas peças de museu mais acessíveis. Mas, e os objetos que vemos em nossas vidas diárias? De cadeiras aos carros que conduzimos, esses itens podem muitas vezes passarem batidos (não digitalizadas e nem impressos).

O banco de dados de digitalização 3D da Redwood Data revelou recentemente mais de 10.000 scans 3D de objetos de nossa realidade cotidiana, que variam de livros, equipamentos de cozinha e latas de lixo a  bicicletas, pianos de cauda ​​e sapatos. Para conseguir isso, a Redwood Data recrutou 70 indivíduos para operar sistemas de digitalização 3D de nível consumidor, nada muito profissional ou difícil de ser utilizado, compensando-os em troca com a digitalização do ambiente ao seu redor. Os 70 operadores de scanner podiam optar por explorar o que eles quisessem e o resultado foi uma grande base de dados composta todos os tipos de objetos do mundo real. Depois de garantir que a aquisição de dados não violasse as leis nem a privacidade, os objetos 3D digitalizados foram lançados dentro do domínio público.

Os operadores utilizados câmeras PrimeSense Carmine, uma webcam 3D com uma resolução de 640 × 480 e uma taxa de atualização de 30Hz. A PrimeSense é uma empresa de sensoriamento 3D israelense, que foi adquirida pela Apple em 2013. Embora as câmeras PrimeSense Carmine 3D sejam consideradas de nível amador, elas certamente parecem capazes de capturar os detalhes deste grupo eclético de objetos.

De acordo com a Redwood Data, os objetos mais populares que os operadores de câmera digitalizaram foram carros, seguido de cadeiras, esculturas, livros, mesas, e assim por diante. Veja o gráfico abaixo mostrando o ranking dos objetos mais digitalizados:

A base de dados inclui ambos os scans RGB-D (a sequência de tomada de imagens) e os modelos 3D reconstruídos, que podem ser baixados gratuitamente. Os modelos 3D são organizados em arquivos PLY, um formato criado para armazenar as muitas facetas de dados de digitalização 3D. O formato PLY é semelhante a um arquivo STL, visto que é uma representação de estrutura de arame de malha de uma parte 3D. Você pode acessar, navegar e baixar os milhares de objetos ​​3D digitalizados no site da Redwood Data e talvez até mesmo se inspirar para começar a capturar seu próprio ambiente com um scanner 3D.



Confira mais imagem:

Gostou? compartilhe!