MICRON3DP E MIT DISPUTAM A CORRIDA DA IMPRESSÃO 3D EM VIDRO FUNDIDO

Gostou? compartilhe!

MICRON3DP E MIT DISPUTAM A CORRIDA DA IMPRESSÃO 3D EM VIDRO FUNDIDO

A concorrência para produzir o método mais eficaz de impressão 3D em vidro fundido está fervendo depois que a empresa israelense Micron3DP anunciou planos para entregar a sua impressora 3D para teste no final de 2017.

Técnica antiga como o tempo

Com mais de 5.000 anos de história, a arte de fazer vidro foi refinada em inúmeros estilos em todo o mundo. O processo, no entanto, mesmo quando se trata de vidro de ocorrência natural, continua a ser praticamente o mesmo: a areia e os minerais são combinados a temperaturas elevadas até 1500 °C e, pelo menos na fabricação, é assoprado, para criar vasos, ou flutuado em cima de metal, vidraças, e resfriado para definir em seu estado transparente.

Concorrência

Adicionar a impressão 3D na mistura de formas tradicionais de se trabalhar com o vidro, muda um pouco a regra do jogo. A técnica que a Micron3DP e seu concorrente MIT têm explorado é a FFF (Fabricação por Filamento Fundido) ou FDM (Fused Deposition Modeling), tecnologia de maior abrangência na impressão 3D.

Anteriormente, o vidro era impresso em 3D com uma resolução de 4000 microns, produzindo vasos e esculturas transparentes com camadas definidas e onduladas em sua estrutura, como nos padrões projetados pelo grupo Neri Oxman e Mediate Matter do MIT.

O desenvolvimento mais recente da Micron3DP imprime a uma espessura de camada muito mais fina, de 100 microns, produzindo uma estrutura transparente mais densa e definida.

Usos potenciais

A capacidade de manipular o vidro de tal forma está cheia de potencial. Fazer algo tão finamente controlado significa que o processo poderia ser usado para fazer equipamentos utilizados em laboratórios, por exemplo. A expressão artística também pode atingir novos limites na experimentação com estruturas complexas e geométricas.

A equipe da Micron 3DP também está direcionando às indústrias de segurança, arquitetura e aeroespacial para possíveis casos de uso, incentivando engenheiros e artistas a apresentarem suas ideias.

Recursos atuais

Atualmente, uma impressora Micron3DP é capaz de imprimir objetos de até 200mm x 200mm x 200mm de tamanho, cerca de 5mm mais alto do que um vidro pint típico, e o mesmo em comprimento e largura. O processo utiliza vidro de soda cal comum e o mais resistente Borosilicate, que é usado em alguns produtos de Pyrex. O que é surpreendente é como as câmaras de vidro da impressora 3D são capazes de gerir a temperatura necessária para manter o vidro fundido de resfriamento muito rápido.

A impressora utiliza a experiência da Micron em extrusores de metal e a experiência combinada de engenharia mecânica do CEO Arik Bracha e a prototipagem rápida do CTO Eran Gal-Or.

A tecnologia pode ainda ser “frágil” para o tempo, mas com desenvolvimentos esperados no próximo ano está se movendo relativamente rápido. Também será interessante ver se o MIT será rápido para responder ao último anúncio da Micron.

Fonte: 3DPrintingIndustry



Confira mais imagem:

Gostou? compartilhe!