SIEMENS COMPLETA TESTE CHAVE DE PÁS DE TURBINAS A GÁS IMPRESSAS EM 3D

Gostou? compartilhe!

SIEMENS COMPLETA TESTE CHAVE DE PÁS DE TURBINAS A GÁS IMPRESSAS EM 3D

O grupo alemão de engenharia Siemens realizou um teste bem-sucedido com pás de turbinas a gás para geração de energia, produzidas totalmente por impressão 3D em metal pela Materials Solutions, empresa com sede no Reino Unido, adquirida ano passado pelo grupo alemão.

A Siemens disse no início do mês que foi a primeira a testar essas lâminas em condições de plena carga com 13.000 rotações por minuto e temperaturas acima de 1.250 graus centígrados. Eles consideraram o teste um “grande avanço”.

A impressão 3D, também chamada de fabricação aditiva, envolve a fabricação de um objeto tridimensional, adicionando camadas ultrafinas de material um a um, seguindo um design digital, em contraste com a fabricação convencional (subtrativo), onde o excesso de material é cortado.

“Este é um grande sucesso para o uso de fabricação aditiva no campo de geração de energia, que é uma das aplicações mais desafiadoras para esta tecnologia”, disse Willi Meixner, chefe da divisão de Energia e Gás da Siemens.

A General Electric, concorrente da Siemens, comprou duas empresas de impressão 3D no ano passado por mais de US$ 1 bilhão e lançou seu primeiro componente de motores de aeronaves impresso em julho passado.

“A tecnologia está se movendo rapidamente, e todos os fornecedores de toda a cadeia de suprimentos precisam estar em alerta”, disse James Stettler, analista de bens de capital do Barclays.

Um porta-voz da Siemens não conseguiu estimar quanto tempo levaria para as lâminas de turbinas a gás impressas em 3D entrarem em produção comercial, mas disse que a tecnologia reduziu o tempo de projeto para teste de dois anos para apenas dois meses.

As pás no teste da Siemens foram feitas a partir de um pó de superliga de níquel policristalino de alto desempenho. A tecnologia 3D tornou possível um novo design com melhor geometria de resfriamento interno.

Os preços das turbinas de geração de energia a gás estão sob extrema pressão, com a Siemens afirmando na semana passada que novos projetos estavam sendo adiados e que teriam que lutar por cada pedido.



Gostou? compartilhe!